Perguntas Frequentes

Até quando o bebê pode dormir no quarto dos pais?

Recomenda-se que bebês não devem dormir na cama junto com os pais. Essa prática é, inclusive, causa de acidentes como queda e sufocamento. Quando são muito pequenos (menores de 3 meses) os pais estão em período de adaptação e, além disso, é comum a criança mamar várias vezes à noite, nesse momento o bebê pode ficar comodado em carrinhos apropriados ou em berço no quarto dos pais. Entretanto, assim que os pais se sentirem mais seguros a criança, se tiver um quartinho próprio, deve ser colocada para dormir lá.

Quais as alergias mais comuns na criança?

Quem tem casos de alergia na família tem mais chance de ter alguma doença alérgica. Na criança as reações mais comuns são as de pele (pós picada de insetos, após ingestão de algum alimento ou remédio) e as respiratórias (chiado, tosse, rinite).
Em crianças pequenas (menores de um ano) os principais alérgenos são alimentos (leite, ovo, etc). Com o passar do tempo fatores ambientais como ácaros (presentes no pó), fungos e insetos passam a ser mais importantes.

Por que as meninas de um modo geral, andam e falam antes dos meninos?

Não existem conclusões definitivas ainda a respeito disso, mas acredita-se que seja devido a fatores hormonais que sofrem variações de acordo com o sexo. Esta diferença se iguala na fase da pré-adolescência.

A criança é obrigada a arrotar logo após as mamadas?

Não. Às vezes a criança demora muito tempo para arrotar, causando ansiedade na mãe. Se depois de 15 minutos ela não arrotar, não há problema. Não precisa se preocupar com isto, basta colocar a criança deitada no berço de lado ou de barriga para cima.

O que posso fazer para aumentar a quantidade do meu leite?

Nos casos de pouco leite, podem ser tomadas as seguintes condutas : aumentar a freqüência das mamadas, tomar muito líquido, de preferência água, chás e sucos, procurar ficar o mais tranqüila possível e amamentar em lugares calmos

O meu bebê demora muito tempo a adormecer, quer seja de dia ou de noite. É normal?

Devemos criar um ambiente apropriado ao sono: silêncio, escuro, recolhimento, intimidade. Cante uma canção, conte uma história. Nunca é cedo demais. Faça do adormecer um ritual que será lembrado. Não deixe o bebê adormecer na sala embalado por uma novela ou pela televisão. É normal que os bebês demorem para "pegar" no sono e acordem ao menor estímulo na fase inicial do sono. Os bebês têm um tempo de sono profundo, calmo, menor que os adultos e só o atingem 30 a 40 minutos depois de adormecerem. É impossível e errado tentar contrariar esta vantagem protetora.

O que é Sapinho?

Sapinhos são pequenas manchas brancas, semelhantes a flocos de leite ou nata, na língua e mucosas da boca dos lactentes. São provocados por uma levedura que gosta do calor e da humidade. Deve administrar um medicamento oral, prescrito pelo médico, três a quatro vezes por dia até à cura; ferver a chupeta e os brinquedos que o bebê leva à boca. Quando a mãe amamenta deve lavar bem os mamilos podendo aplicar localmente o mesmo produto.

Meu bebê precisa tomar água?

Bebês que mamam somente leite materno, não precisam receber água, chás ou sucos. Apenas o leite materno é suficiente para dar toda a água de que precisam.

Meu bebê recém-nascido fez xixi e deixou uma mancha vermelha na fralda. Isto é sangue?

Esta mancha vermelha, na verdade cor bronze, na fralda não é sangue. Muitos recém-nascidos expelem cristais de urato na urina, deixando a urina com esta coloração que parece ser sangue. Se esta mancha sair facilmente com água, comprova que são os cristais. Se não sair, entre em contato com seu pediatra.

Quando eu tiro o leite materno, posso guardá-lo para usar depois ?

Sim, o leite materno poderá ser armazenado, sem prejuízos, desde que isso seja feito da forma correta. Ou seja ele deve ser guardado em recipientes de vidro esterilizado, fechados com tampa de rosca (de material plástico). Ele deverá ser armazenado 24 horas na geladeira ou por 15 dias no freezer.

Meu bebê não evacua há 2 dias. Isso é normal?

Se o seu bebê está mamando leite materno exclusivo, ele poderá ficar até 7 dias sem evacuar. Isso é normal. Porém, se ele está em outro tipo de alimentação ou mostrar-se incomodado, converse com seu pediatra

Qual a diferença entre alergia ao leite de vaca e intolerância à lactose?

É comum se confundir intolerância à lactose com alergia à proteína do leite de vaca. Na intolerância os sintomas aparecem mais tarde (ex: em lactentes após uma infecção intestinal ou crianças maiores que antes tomavam leite normalmente e não tinham nada), os sintomas são muito mais gastrintestinais e é possível que a criança não tenha sintomas se ingerir uma pequena quantidade de leite e/ou derivados. Já a alergia ao leite de vaca é uma reação imunológica (do sistema de defesa do organismo) contra a proteína do leite de vaca. Geralmente acontece antes do primeiro ano de vida e tende a sarar por volta dos 3 a 5 anos de idade. Nesse caso a criança não pode receber nada de leite e nem de derivados porque mesmo pequenas quantidades podem causar sintomas. Podem haver manifestações diversas que aparecem logo após a ingestão de leite ou após dias ou semanas: de pele (coceira, vermelhão), gastrintestinais (diarréia, vômitos), dificuldade de ganho de peso e prejuízo do crescimento, diarréia com ou sem sangue, dificuldade para engolir, entre outros. O ideal é trazer a criança para uma consulta para que possa ser examinada e se faça o diagnóstico correto.

O que é intolerância a lactose?

A intolerância à lactose é uma dificuldade da criança em digerir o açúcar do leite (lactose) pelo não funcionamento adequado de uma enzima chamada lactase que fica no intestino e é responsável pela quebra da lactose. A intolerância à lactose pode acontecer em bebês pequenos após um quadro de diarréia mais intensa, por exemplo. Entretanto costuma acontecer em crianças a partir de 2 anos de idade, quando ocorre uma redução natural na produção da enzima lactase pelo intestino da criança. Isso depende de fatores genéticos e tipo de alimentação. O que acontece é que após a ingestão de leite a criança pode ter inchaço na barriga, dor, diarréia e até vomitar. Os sintomas dependem da quantidade de leite ingerido. Se a criança comer derivados de leite como iogurte, queijos, preparações com leite pode não ter sintomas pois a quantidade de lactose nesses alimentos é bem menor. Algumas crianças, que quando pequenas tomavam leite e derivados normalmente, podem ter sinais de intolerância à lactose quando ficam maiores.

Meu filho não come nada posso dar um estimulante de apetite?

Os estimulantes de apetite não são indicados para crianças saudáveis. Faz parte do desenvolvimento da criança comer mais alguns dias e menos em outros. Tem fases que a criança só quer um tipo de alimento, tenta pular refeições, quer brincar no lugar de comer. Isso pode deixar a família toda preocupada, mas tenha calma – se a criança está sendo acompanhada, se o seu crescimento e desenvolvimento está adequado – a melhor forma de melhorar o comportamento durante a alimentação é uma mistura de paciência, carinho, orientação e regras. Hábitos ruins devem ser mudados desde cedo, mesmo que no início a criança fique brava ela deve se acostumar a ter horário e local para comer, acostumar-se a comer alimentos saudáveis e não usar a alimentação como forma de chamar a atenção dos pais ou conseguir ‘coisas’. Os estimulantes de apetite que eram usados no passado tinham uma série de substâncias que podiam fazer mal à saúde da criança: álcool, anti-histamínicos (dão sono), entre outros. Devido a esses problemas hoje em dia a maioria dos medicamentos que abriam o apetite estão proibidos ou tiveram a sua composição modificada.

O que fazer quando a criança vomita?

O vômito acontece quando o conteúdo do estômago é jogado de forma rápida para fora da boca. É como um reflexo inesperado. Logo após vomitar a criança pode ficar “molinha” e pálida. Ele pode acontecer por diversas causas. As mais comuns são infecções por vírus ou bactérias que podem vir acompanhadas de febre e diarréia ou intoxicações alimentares (alimentos contaminados que fazem mal para a criança). De qualquer maneira, o grande problema dos vômitos é que a criança pode desidratar rapidamente porque perde líquido e não consegue repor, pois tudo que bebe ou mama, volta. A melhor coisa a se fazer nesse momento é tentar acalmar a criança, se for bebê pegar no colo e manter com a cabeça elevada, depois que ele melhorar tentar dar algo para ele mamar ou beber - leite materno, mamadeira, ou as soluções de reidratação oral próprias para essas situações. Se a criança não conseguir mamar, beber ou comer o que é oferecido e/ou continuar vomitando é importante consultar o pediatra 

Alimentos considerados alergênicos devem ser excluidos da dieta da criança durante o primeiro ano de vida?

Não há nenhum alimento que deve ser excluído da dieta da criança para se prevenir as alergias. E sim introduzidos no momento correto. Mesmo alimentos como ovo, peixe, castanhas e amendoim que são considerados como alimentos que podem levar a alergia só devem se excluídos se a criança for avaliada e comprovar-se que ela é alérgica. A gema de ovo, por exemplo, pode ser introduzida na alimentação da criança a partir do sexto mês de vida, bem cozida. Não oferecer ovo mal cozido porque há risco de infecção por Salmonela, uma bactéria que pode estar escondida dentro do ovo e que só morre quando o ovo é bem cozido. Consulte o seu pediatra. 

O que é alergia?

A alergia é uma manifestação que acontece quando o sistema imunológico (que defendo o organismo) reage contra algum agente do ambiente, levando a diversos sintomas. Ex: vermelhidão na pele, inchaço nos lábios e olhos, tosse, espirros, chiado no peito, diarréia, coceira pelo corpo. Medicamentos, poeira, insetos e alimentos são causadores de alergia.

O que é estrabismo?

Desde o nascimento até os seis meses, a criança pode apresentar estrabismo intermitente (por segundos) – desvio convergente ou divergente dos olhos. Caso o estrabismo seja fixo após seis meses de idade, é necessária uma avaliação oftalmológica.

O que fazer quando o bebê está com cólica?

Primeiro de tudo, é importante ter calma. O bebê pode chorar durante horas seguidas e por meses, quando tem cólica. Não se sabe ainda exatamente o que causa a cólica e nem como melhorar. Ela parece fazer parte do amadurecimento da criança, uma vez que com o passar da idade desaparece. Algumas dicas são importantes nessa fase:
- Tenha calma e peça todas as orientações para o pediatra na consulta, tire todas as suas dúvidas. Saber que é algo normal e acontece com muitos bebês é o primeiro passo
- Quando o bebê estiver com cólica, pegue no colo e leve para um local sossegado (pouca luz e pouco barulho)
- Cada bebê gosta de ficar em uma posição diferente, mas a posição de barriga para baixo apoiando todo o tronco no braço, pode ajudar a melhorar
- Faça carinho no bebê, no corpo todo, especialmente na barriguinha, com movimentos lentos e suaves. Ajuda a criança a se sentir segura
- Converse com ele com a voz tranqüila. Não sacudir a criança. Isso pode deixá-la mais irritada
- De uma hora para outra a cólica passa e o bebê consegue dormir. Coloque-o no berço e mantenha o ambiente tranqüilo para que ele descanse.

Por que meu bebê chora tanto à noite?

Especialmente quando o bebê é novinho é comum ele chorar para quase tudo. É uma forma de comunicação para ele, e isso não quer dizer que ele tenha doença. O bebê chora em média cerca de uma a três horas por dia (um pouco em cada horário). São vários os motivos que podem fazer um bebê saudável chorar: fome, desconforto (ex.: fralda apertada ou suja), calor ou frio, necessidade de colo, sono ou algum outro incômodo. Isso parece piorar à noite porque é o momento em que tudo está silencioso e o choro parece mais alto. Quando o bebê estiver chorando, pense em todas estas situalções e tente “imaginar” o que pode estar acontecendo. Pegue o bebê no colo, fale com ele e tente acalmá-lo. Colo nessa hora não faz ele “acostumar”, e sim o tranquiliza. Se a criança chora, mas mama, ganha peso, faz xixi e cocô e não tem nada alterado no corpinho, provavelmente isso não é nada. Depois de um tempo, é possível identificar só pelo choro os motivos que estão fazendo ele reclamar.

Como saber se o choro é devido à cólica?

O choro é uma forma de comunicação do bebê. Praticamente a única nos primeiros meses de vida. Inclusive quando ele tem cólica, ele chora. Nem sempre é fácil saber exatamente se o choro é devido a uma ou outra causa. Algumas dicas são importantes nesse sentido. O choro ligado à cólica:

- Acontece, geralmente, a partir do primeiro mês de vida.
- Inicia-se no fim do dia e começo da noite.
- É contínuo, podendo durar de 2 a 4 horas seguidas.
- Não cede com medidas habituais
- A barriguinha do bebê pode ficar mais tensa e ele pode até encolher as perninhas
- Tende a melhorar a partir dos 3 meses de idade.

Importante observar se além do choro há sinais diferentes, como por exemplo, se o bebê não está mamando bem, não está fazendo xixi ou cocô como habitual, se está vomitando e se a cor da pele está anormal. Qualquer sinal diferente me consulte.

O que é refluxo?

Refluxo é quando o conteúdo do estômago (alimento que o bebê tomou) volta para o esôfago, podendo chegar até a boca. Quando isso acontece o bebê regurgita (volta aquele leite meio ‘azedo’). A grande maioria dos bebês regurgita por causa de refluxo e isso não significa que ele tenha uma doença, pelo contrário, isso faz parte do amadurecimento do sistema digestivo. Com o passar do tempo, especialmente após os 4 meses de idade, o refluxo tende a melhorar, tanto o número de regurgitações quanto a quantidade. Não precisa de nenhum tratamento específico. Somente quando o refluxo atrapalha a saúde do bebê – prejudica o crescimento, desenvolvimento, deixa ele muito irritado, impede de mamar, etc - pode-se pensar em investigar e tratar o refluxo. No caso dúvida, me consulte.

O que fazer quando a criança se machuca?

Conforme a criança vai se desenvolvendo maior o risco de acontecerem acidentes e o local mais “perigoso” é a própria casa. O ideal é se tentar reduzir o máximo possível a chance da criança se ferir. Entretanto, muitas vezes, isso não é possível. Nesse sentido quando a criança tiver uma queda, um trauma, um corte, um arranhão, etc. É muito importante acalmá-la, tentar entender o que aconteceu e qual parte do corpo pode ter sido ferida. Tente conversar com ela e ver se ela está acordada, se mexe bem as perninhas e braços, se vomita ou se tem algum sangramento. Se for um corte lave com bastante água e sabão e se for uma contusão (batida) coloque um pouco de gelo (20 minutos) para reduzir a formação do hematoma. Cuidado especial deve ser dado em relação aos traumas na cabeça com presença de sintomas (sonolência, vômitos, irritabilidade) logo depois que acontecem ou mesmo horas após.

Logo Dra. Ana Carbone

Consultas
(11) 2613.6231 
(11) 96570.0882 
(11) 95067.7788